Archive for the ‘observações’ Category

postludio

outubro 31, 2008

Aqui estamos, chegamos ao fim deste blog.

Foi bom compartir um pouco desses dois anos de vida na Europa. Uma fase incrível que não vou esquecer. Uma avalanche de novas sensaćões, sentimentos revirados, pontos revistados.

Sem muito o que dizer, muito do que será escrito aqui, a partir de agora, não será respondido. Tens meus contatos, meus emails e, talvez, números de telefone.

Talvez seria preciso um final lindo, um texto à altura, um poema. Mas são tempos de ponderaćão. E não deixa de ser belo, por não ter sido relatado bem.

Grande beijo,

Daniel.

Anúncios

Daniel…

outubro 13, 2008

misses talking Portuguese, hecha de menos hablar portugués, manca parlare portoguese, vermist Portugiesisch sprechen…

Dresden, Praga e Berlin

junho 20, 2008

Ótimas notícias. Vou viajar de 29 de Junho a 6 de Julho para Dresden, Praga e Berlin. E melhor, com os vôos e estadia em Dresden pagas! (Não por mim, lógico!)

Tudo isso por conta de uma outra ótima notícia: fui escolhido para representar os alunos da Universidad Politécnica de Madrid no EMCL* workshop, em Dresden. EMLC significa European Master in Computational Logic, que é o meu programa de master aqui na Europa.

Claro, fiquei super lisonjeado! Vai ser uma ótima chance de participar das reunioes com os coordenadores e dirigentes do master. E, além dos coordenadores das universidades de Portugal(UNL), Espanha(UPM), Itália(UNIBZ), Alemanha(TUD) e Áustria(TUW), estarão presentes científicos internacionais para opinar na qualidade do programa, nas novas acões e na escolha dos novos alunos. Ah, e vou me apresentar para todos eles, junto com os outros 4 representantes dos outros países, discutindo os pontos fortes e fracos da nossa atual universidade. 😉

Mudando de assunto. Estou com mania de itálico para palavras estrangeiras. É quase “The “Blog” of “Unnecessary” Quotation Marks”. =]

Acabo de ouvir um professor ser chamado para ir ao cinema, na mesma hora do jogo da Espanha na Eurocopa, no domingo. Parece-me que transmitem os jogos em cinemas também. De verdade, juro! E eu pergunto: E onde está a cerveja!? No cinema não pode…

A terminar, preciso fazer um post dedicado a evolução da minah tese. Está sendo tudo muito penoso para mim, muito esforço, mas gratificante. Tenho uma ajuda inacreditável de um estudante de PhD fuderoso, como dizia o “tio”. E toda sexta-feira tenho discussão dos rumos com ele, meu coordenador de tese, e outro doutor!

Força Daniel!

Caca

maio 28, 2008

Prometi que não coloco mais o dedo no nariz, ao menos publicamente. Sei que outras culturas não entendem os sul-americanos, espanhóis, chineses etc. Mas há coisas que pedem um dedo no nariz… Coceira, carro parado no sinal de trânsito, cozinhando..! hehehe Brincadeira!

Tá, mas quando for ao Brasil, tem que prometer não assoar o nariz na mesa, nem no trabalho, nem em lugar nenhum. E colocar o dedo no nariz, bem chic!

San Isidro

maio 17, 2008

Feriado de San Isidro, patrono de Madrid. Aproveito para não parar em casa. A cidade ferve de atividades culturais.

Vida real: cozinhar me aproxima de casa. Um motivo qualquer, me faz cozinhar algo bom. Motivos melhores, cozinhar melhor.

Audrey tinha olhos de sangue, com raiva de um professor, projeto, sei lá. Prometi fazer uma torta surpresa pra animar a guria. Aí está:

Algo parecido com o que faz minha mãe quando vou à fazenda.

Agora estamos saindo na pressa pra encontrar uns amigos que vieram de Paris. Audrey e Manuel dessa vez ajudaram-me a fazer outra torta bem melhor. A ver, logo chega a foto. 😉

Solidão…

maio 10, 2008

… é escrever em uma sexta-feira, já sábado, às 3 horas da madrugada. É assistir um filme francês, legendas em espanhol, sozinho, num sofá frio. É assistir outro filme triste numa cama de viúvo.

É chorar sozinho, e não poder telefonar pra ninguém. Saber que, mesmo longe, poderia. Mas não querer desesperar ninguém com algo tão tolo, um ponto apenas. Uma noite, e nada mais.

É saber que não se pode andar por aí como se fosse Jardim da Penha, como se fosse as ruas de Alegre. Como se fosse uma estrada de chão, à luz do luar, da Fazenda da Glória. Ouvir os ruídos da noite.

Lembrar dos seus pais, seus irmãos e os capítulos da vida que não leu. Pensar no futuro, refletir sobre o passado. É não ter planos para amanhã ou depois de amanhã. Planos que vão além de tolices como limpar e organizar coisas.

E tentar dormir, não conseguir, e levantar para escrever, na cama. E publicar. Pois quem sabe, escrevendo, não saiam da minha cabeça, e eu consiga dormir, ao menos uma vez por semana, sem despertar pela noite.

[que não me liguem, não me escrevam, que não roam unhas. que me conheço: que isso passa. que é uma tese, um projeto, decisões. cansaços totalmente previsíveis.]

Tudo tem seu tempo

maio 4, 2008

Quando era adolescente queria fazer muitas coisas. Queria poder ter meu quarto, só meu. Viajar sem rumo com amigos, acampar em qualquer lugar, em uma reserva nas montanhas, em uma praia. Queria poder beber deitado na praia, olhando o céu. Queria experimentar a vida, me lançar ao desconhecido, fora da minha zona de conforto.

Meus pais respondiam: não. Viajar, acampar, festas. Não. Mas vinha com um complemento que não me esqueço: tudo tem seu tempo.

Hoje vejo que é tudo verdade. Vejo me hoje, voltando de viagem com uns amigos, me vejo viajando pela Europa com o Niels, me vejo saindo, planejando minhas coisas. E tudo tem seu tempo.

Certo que não seria suficientemente maduro para fazer tudo aos 18 anos. Assim como não sou maduro agora para decidir o que quero do futuro. E, ao chamar à casa, escuto mais uma vez, com serenidade: Tudo tem seu tempo.

sem título

abril 28, 2008

Noite de calor em Madrid (19 graus!), bermuda, chinelos. Aquela estranha sensação que tenho do verão na Europa. Insônia, uma saída para ir até a lojinha dos chineses, comprar coca gelada. Seria o “postinho” aqui: aberto até tarde, encontra-se de tudo.

E caminhando de chinelos, bermuda, olhos inchados de uma tarde de sono, depois de horas de pé falando sobre desenvolvimento de software verificado para adultos. Programando robots para crionças, seduzindo-as com caramelos, para que ouçam. 😉

Enfim, estranha síndrome do Fantástico, sem ter Fantástico pra ver. Domingos são estranhos. Com insônia, mais ainda.

A organizar meu comp, fica uma tirinha do Adão Iturrusgarai:

Adão Iturrusgarai.

bjao, e boa semana. Pra mim.

Feira de Ciências

abril 24, 2008

Lendo assim, parece tonto. Mas tenho trabalhado para um instituto de pesquisas em software, e amanhã estarei em seu stand, junto com os outros ramos do insstituto de pesquisa, representando-os, em uma feira de ciências, para crianças, sobre água. (Que frase grande! Já quase terminei o post do dia! 😛 )

Parece tonto. Mas é uma feira gigante. Fiquei tonto só com pavilhão que estamos. O número 12. E é enorme. Ao lado do nosso, tem uns protótipos de aviões, um super helicóptero de verdade, real. Máquinas incríveis, super tecnologia envolvendo água. Me sinto criança de novo. 😉

[Depois atualizo com fotos.]

Assim fico ocupado até domingo. Mais uma vez sem ligar pra casa, mais uma prima que casa e eu não vou..

… dormir! pra aguentar o pique! bjão!

Bilbao

abril 3, 2008

Antes de começar a escrever sobre Bilbao, uma pausa. Às vezes verifico o que as pessoas andam buscando quando chegam até meu blog por um dispositivo de busca… Lembro que até tinha uma lista das pérolas, mas essa última me fez rir:

aonde que está estalados o prédio da onu

Nossa… Eu demorei a entender, até disparar a rir.. Estalados!?!? Seriam prédios compostos por ovos? Ou fariam ruídos? Enfim… A resposta é: a sede está em Nova York.

Voltando ao objetivo: contar em pouquíssimas linhas como foi a Semana Santa.

Sabine Puerta alcala
Eu e Sabine na Puerta de Alcalá, entrada do Parque del Retiro. Pic nic no domingo.

Aqui na España temos uma semana de feriado, mais a Segunda-Feira depois da Páscoa (no caso da província de Madrid e outras 2 ou 3, não me lembro).

Então, Sabine veio me visitar em Madrid. Depois chegou a Anne, também alemã, depois chegou o Dil, da Itália. Eu tive que trabalhar (de Segunda a Quarta), mas folguei o último dia e fomos ao Palácio Real. Rodaram tudo que foi parte de Madrid. Eu, de guia.

Bine, eu e anne, toledo
Bine, eu e Anne. Foto torta, no banco torto. Em Toledo, cidade medieval ao sul de Madrid.

Sábado seguimos a Bilbao, mesmo com muitos me dizendo que nada tem ali. Sim, há pouco. Mas do pouco que vi, adorei.

Mas chovia, e geava, e nevava… Ficamos em casa, comendo, comendo, rindo, e vendo gelo, dormindo no filme… Domingo de Páscoa foi dia de visitar o museu de arte moderna Guggenheim-Bilbao. Simplesmente incrível! Somente o edifício já valia toda a viagem de ônibus Madrid-Bilbao-Madrid… Apresentava uma coleção incrível sobre a arte dos EUA e os loucos gênios do Surrealismo!

Bine, eu, Anne, Dil, bilbao gugenheim

Esti(báliz), eu, (Sa)bine e (A)dil(son) em Bilbao. Ao fundo, o tão falado Guggenheim. (Na ponte, Agur 2007. Adeus 2007, na língua basca (Euskera).)

Também conheci o centro da cidade, e presenciei algumas procissões de Semana Santa. Dá medo! Uma marcha sinistra, com chapéus estilo KKK, uma música bem fúnebre… Valeu a pena! Na próxima vez, vou à San Sebastián, Vitoria e Santander também, espero.

img_0310.jpg

Bilbao, Semana Santa, procissão… Medo!!! hahahaha Brincadeira!

É isso, um abraço, e até mais!

😀